Acupuntura do Idoso

bannerSite_integral7

 

O mundo está envelhecendo. Nas últimas décadas, a terceira idade é o grupo populacional que mais cresce nos países desenvolvidos e em desenvolvimento. Mas o que significa envelhecer? Ficar mais velho não é apenas sentir o tempo passar; nem significa virar doente. Problemas de saúde podem aparecer, mas, se as pessoas tiverem hábitos saudáveis e procurarem se manter ativas física e intelectualmente, poderão ter um envelhecimento saudável com boa qualidade de vida, minimizando as alterações próprias da idade e prevenindo doenças que incidem mais após os 60 anos.

O organismo do idoso tem menor capacidade de adaptação e demora mais tempo para recuperar-se que um organismo mais jovem. A incidência de doenças é maior nas pessoas com mais de 60 anos, e a presença de mais de uma doença no mesmo indivíduo é freqüente. O uso concomitante de vários medicamentos e a redução da função dos órgãos, em especial do fígado e dos rins, aumentam o risco de efeitos indesejáveis dos medicamentos e de intoxicações.

Essa é uma das razões porque a acupuntura tem um papel potencialmente importante no tratamento do idoso. Como ela praticamente não tem contraindicação e possui efeitos benéficos na redução da dor, na ansiedade, no sono, nos sintomas de depressão leve entre outros, possibilitaria ao idoso reduzir a quantidade de medicação, diminuindo também os seus vários efeitos colaterais, como, por exemplo, a gastrite desencadeada pelos antiinflamatórios, proporcionando ainda uma melhor qualidade de vida.

A acupuntura é utilizada há milênios no tratamento de doenças. No idoso, especialmente no idoso frágil, o tratamento por acupuntura tem peculiaridades. Um dos principais preceitos de acupuntura recomenda aplicá-la conforme as condições da pessoa. Idosos frágeis, assim como crianças, devem ser agulhados com menor profundidade de inserção e por menos tempo. A estimulação excessiva pode cansar o paciente. A moxabustão, ou estimulação de pontos de acupuntura através de calor gerado pela queima de uma erva chamada artemísia, pode ser indicada para fortalecer o organismo. Não se recomenda o uso da acupuntura em certas situações extremas, como desidratação, hemorragia severas, nem em pessoas muito debilitadas, famintas ou que comeram recentemente, muito sedentas ou muito assustadas. O idoso também pode responder mais lentamente ao tratamento.

A população idosa é muito heterogênea. Há idosos ativos e produtivos aos 70-80 anos e pessoas com a mesma idade, totalmente dependentes para as atividades de vida diária. Além das alterações fisiológicas próprias da idade, é frequente, como já foi dito, a ocorrência de mais de uma doença nestes indivíduos.

Há séculos a medicina tradicional chinesa (MTC) preocupa-se com o envelhecimento. Segundo o Hoang Di Nei Jing, principal tratado de Medicina Tradicional Chinesa escrito há cerca de 2500 anos, o homem começa a envelhecer gradualmente a partir dos 40 anos. Para manter a saúde, é recomendado um modo de vida constante e regular com quantidades adequadas de trabalho e repouso, evitar excessos de qualquer espécie (de alimentos, álcool, trabalho, sexo), praticar exercícios adequados à constituição física do corpo, manter o espírito calmo e atitude positiva perante a vida, e estar atento e procurar adaptar-se às mudanças climáticas. Seguindo estes preceitos o indivíduo preveniria doenças, fortaleceria o organismo e poderia chegar até aos 100 anos. Estes preceitos milenares são válidos e atuais até hoje, e são a chave do envelhecimento bem sucedido.

 

Hospedado por Hostnet Savassi